TAC vai garantir proteção do Vale dos Dinossauros na cidade de Sousa

Foto: Divulgação/Governo da Paraíba
Ministério Público Federal (MPF), Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) e Prefeitura Municipal de Sousa firmaram um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC) para garantir a integridade e a proteção dos recursos naturais do Vale dos Dinossauros. Em caso de descumprimento, é prevista multa diária de R$ 10 mil. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (6) pelo órgão federal.

O TAC é decorrente de uma Ação Civil Pública promovida pelo MPF, que alegou que, mesmo sem a existência de plano de manejo, algumas obras estariam sendo realizadas no Vale dos Dinossauros, financiadas por convênios federais, ambos firmados entre o Ministério do Turismo e o município de Sousa, no valor aproximado de R$ 2 milhões, que poderia prejudicar a preservação do local.

De acordo com o MPF, num prazo de cinco anos desde a inauguração daquela área de conservação, em 2002, deveria ter sido realizado um plano de manejo, que consiste em um “documento técnico mediante o qual, com fundamento nos objetivos gerais de uma unidade de conservação, se estabelece o seu zoneamento e as normas que devem presidir o uso da área e o manejo dos recursos naturais, inclusive a implantação das estruturas físicas necessárias à gestão da unidade”. Até então, o plano não foi feito.

Com o TAC homologado pela Justiça Federal, a Sudema fica obrigada a elaborar, no prazo de um ano, contado da contratação da empresa, o plano de manejo do Monumento Natural Vale dos Dinossauros, o que, sendo descumprido, resultará na suspensão da visitação pública ao local, bem como na suspensão da licença das obras de execução daqueles convênios federais.

O Município de Sousa, por sua vez, se compromete a disponibilizar no Portal da Transparência todos os documentos de ordem pública, que permitam fiscalização e o acompanhamento das estratégias de gestão do patrimônio paleontológico do Monumento Vale dos Dinossauros.

Com o TAC, ficou determinado que todas as atividades e obras na Unidade de Conservação, antes da elaboração do plano de manejo, devem se limitar àquelas destinadas a garantir a integridade dos recursos que a unidade objetiva proteger, como determina a Lei 9.985/2000, que trata do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.

No caso da retomada das obras, o Município de Sousa e a Sudema se obrigam a manter um paleontólogo para acompanhar toda a execução dos convênios federais, e o Ministério Público Federal promoverá consultas prévias aos especialistas para garantir a preservação das pegadas fossilizadas protegidas pela Unidade de Conservação.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Fonte: Portal Correio