Volume de Capivara cai para 2% e cidades poderão ficar sem água


Informação repassada pela Cagepa local mostra os números atuais de Capivara e Arrojado. Confira abaixo:
CAPIVARA: 2,15% - 805.577 metros cúbicos
ARROJADO: 10,2% - 366.914 metros cúbicos
Medições feitas em 16/10/2017

Na medição anterior, em junho passado, Capivara estava com 3,6% do volume total, e o açude Arrojado, também em Uiraúna, tinha 16,1%.

VEJA MATÉRIA
A cada dia que passa a população do Alto Sertão paraibano vê o drama da falta d'água aumentar. Os grandes mananciais que mantém o abastecimento humano em cidades e nas zonas rurais estão à beira do colapso.

Faz parte desse drama atual os municípios abastecidos pela barragem de Capivara, na região de Uiraúna, que tem hoje um restinho de água apenas. São quase dez cidades que precisam dessa água, sem contar as comunidades rurais que enfrentam uma escassez terrível.

Para atravessar esse resto do ano de 2017 faltam dois meses e meio e também não há certeza se a água de Capivara terá como abastecer os municípios até a chegada do próximo inverno, que começa, geralmente, em fevereiro.
 
Atualmente as reclamações são muitas. Várias comunidades abastecidas pelas águas levadas da barragem Capivara, dizem que o líquido já não está chegando mais. Na região de Sousa, municípios como Vieirópolis, Santa Cruz, São Francisco e Lastro são exemplos dessa falta d'água. Até mesmo em alguns bairros de Uiraúna, a água está chegando com dificuldade. Por aqui algumas pessoas estão abastecendo suas residências com água comprada em carros particulares, já que, além da falta, as pessoas reclamam da qualidade do líquido que está chegando nas torneiras.
 
O deputado federal Wilson Filho em declarações prestada ao Portal COFEMAC revelou que já está com um projeto em mãos que poderá ser colocado nas emendas parlamentares para 2018 com objetivo de construir uma adutora emergencial trazendo a água da transposição do São Francisco, quando ela chegar na Paraíba, no início do próximo ano. Essa obra traria água de São José de Piranhas para as barragens de Lagoa do Arroz, em Cajazeiras e Capivara, em Uiraúna.

Wilson Filho adiantou que o valor da adutora foi orçado em R$ 71 milhões. O parlamentar disse que levará essa obra como sua proposta para reunião da bancada federal paraibana e vai tentar colocá-la como prioridade.

A solução para o problema está na construção dessa adutora emergencial, mas depende, além da boa vontada dos parlamentares, também da chegada da água do São Francisco até a Paraíba.

COFEMAC