Prefeito de Poço Dantas tem salário de Marajá e já abocanhou 146 mil reais com diárias


Em João Pessoa, a diária de uma faxineira pode variar de R$ 80 a R$ 150. Em Poço Dantas, município paraibano tem hoje uma das piores rendas do estado. Segundo o IBGE, 59% da população de Poço Dantas vive com meio salário mínimo mensal, o que o representa R$ 15 por dia.

Na cidade a população vive uma verdadeira calamidade pública quando o assunto é esgotamento sanitário. 86.3% de domicílios não sabem o que venha a ser esgotamento sanitário.

O salário médio de um professor da rede municipal em Poço Dantas é de R$ 2.000,00 mensais!

Poço Dantas fica lá no “finzinho” da Paraíba, onde o vento faz a curva. A cidade tem 3.777 almas vivas. O mais esperto morador da cidade, sem sombra de dúvidas, é o prefeito José Gurgel Sobrinho, conhecido como Dedé de Zé Cândido, ou Dedé das Diárias.

Dedé como prefeito de uma cidade que detém os piores índices de desenvolvimento na Paraíba, tem salário de Marajá ou Sheik Árabe. Recebe todos os meses do ano, R$ 15.000,00 (quinze mil reais) com direito a férias e décimo terceiro.

Talvez achando pouco, ele descobriu o milagre da multiplicação dos rendimentos ao embolsar quase todos os meses, diárias pagas por ele, a ele mesmo. Cada viagem de Dedé é uma facada na miserável conta pública da prefeitura. Quando vai a Pombal, distante 116 km da cidade que ele administra, ele embolsa R$ 500,00 a título de “diárias”.

Diária vai, diária vem, o prefeito Dedé das Diárias já embolsou 146 mil reais.

A conta quem paga é o Poçodantense acostumado a sofrer!



Fonte: ClickPB